Total de visualizações de página

quinta-feira, 3 de março de 2011

Jaak Bosmans

Jaak Bosmans, além de Cônsul de Poetas del Mundo
em Belo Horizonte, é Embaixador Universal da Paz, pelo Cercle Universel des Ambassadeurs de la Paix - Suisse / France, para o qual foi indicado por Clevane Pessoa, por merecimento.





"Agora!"

No mais que te encontrei,
Em algum contraste te busco
Te entrego por inteiro,
Apenas pedaços que sei de mim!

Não por me ser triste agora
Mas por não ter sido apenas encontro

Reparti o tempo, mas sobraram espaços
Coloquei novas as cores de onde sonhava
Reflorestei meus horizontes
E refiz as escadas que nos levaria aos céus

Não por ter sido descuidado com o sol
Mas por permitir mais o gosto da lua

Agora descanso.
Agora descaso.





"Jardins suspeitos"

Gosto muito de flores!
Das pretas...das brancas...
Gosto das flores com cores de flores.
Gosto de flores!
De plástico,de papel ...
Das flores de verdade.
Gosto.
Das que tive,
Das que tenho.
Só não consigo gostar das que deverão ficar ao meu lado,
quando já não puder vê-las...





Em 2002, Jaak criou um modo peculiar de registrar seus poemas. Chama-o de Poemagem.

Aqui, uma dessaS POEMAGENS. Colhendo Segredos, ganhei em um sorteio durante o sarau organizado por Jaak por ocasião do encontro de Poetas del Mundo em BH-MG, no ano de 2009.




Nascido em Belo Horizonte, cursou cinema na Bélgica.
Ex professor de cinema e literatura na Universidade, criador do curso de Cinema e literatura na sala de aula no curso de especialização, com a Drª (em literatura) Kenia de Almeida!

Para conhecer mais sobre Jaak Bosmans, visite: http://pensador.uol.com.br/poemas_de_jaak_bosmans/
www.poetasdelmundo.com/verInfo.asp?ID=5366

sábado, 5 de fevereiro de 2011

Rosa Negra

Nesta foto, Rosa Negra junto a Clevane Pessoa e Bilá Bernardes em reunião do Movimento Paz e Poesia.
Rosa Negra, poeta natural de Santo Antônio do Monte, é Poeta del Mundo em Belo Horizonte
Sua página no site de Poetas del Mundo mostra alguns de seus poemas, que são hinos de otimismo, de crença na vida, de saber olhar o lado positivo dos acontecimentos. Rosa Negra tem memória fotogáfica iluminada e, em seus poemas, pode-se reviver momentos incríveis de infância, adolescência, convivência com amigos, com os humildes, com todas as etinias, sem preconceito. 



Link no site Poetas del Mundo:  http://www.poetasdelmundo.com/verinfo_america.asp?ID=2420








A CHUVA

Chuva, sem fim...

Hoje vi chuva caindo, carregando
pontes, casas, ilusões, forças,
sentimentos bons!
Vi a natureza enfurecida,
águas barrentas,
lambendo ruas, sugando gente.
Que desastre, causamos ao ambiente!
Quão revoltada a terra está!
Recebemos o que lhe ofertamos
e nem sentimos
“Quando, do copo, entornou a água”

                                      Rosa Negra- rosabgontijo /08/12/2006



Rosa Negra-19/10/2007

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Clevane Pessoa e amostra de sua poesia

Esse olhar foi capturado pela artista plástica Iara Abreu


PREDIÇÃO




O tempo é mesmo

esse contraste:

escorre entre a morte e a vida,
entre o ancestral e o devir.
Ascendentes e descendentes
Repetem-se
Ou Transformam-se.
Os traços hereditários
Luzem na escuridão.
Os mutantes
Desafiam leis.

As novas crianças nascerão cantando.

      (Clevane Pessoa)





Ladeada por Cláudio Márcio Barbosa e Bilá Bernardes no Semente de Poesia - NUMAP
 


Poema de Natal

Clevane Pessoa de Araújo Lopes


Dizem que altos anjos
Da Divina hierarquia,
Na verdade, casulos de luz
-Pura energia criadora
Desceram de outras dimensões
Para apreciar um nascimento
Muitíssimo essencial...
Dizem que flocos de neve
Caíram das alturas
Cada um mais especial
Com formas que jamais se repetiram...
Dizem que o ar ficou de tal maneira
Perfumado de rosas e jasmins
e embriagou os passarinhos
-Que mais docemente cantaram
E girandolando voejaram
Saindo a anunciar
O evento anunciado
Que acabara de acontecer...
Dizem que uma alegria intensa
Se apossou dos pastorinhos, 
-Pensaram então fazer parte
   
Da corte de um certo rei
E se sentiram comovidos,
Não de ouro e prata vestidos
Mas vestidos de Alegria
E canções de ninar entoaram
Louvando a chegada do Menino...
E é por isso que até agora
Quando chega o Natal
Também vestimos a alma
De cores especiais
E a nossa voz se eleva
Para acima de qualquer treva
E desejamos a todos
Votos de tantas coisas
Boas de acontecer...
Quem disse? Quem contou
Essa história às pessoas aqui da Terra?
Ora, os bardos, com a Poesia
Dos que precisam de Luz
Dos que necessitam de esperança
E querem levar alegrias
Pelo menos uma vez ao Ano
Para que os homens não desistam
De renovar seus sonhos
E de aproximar os que sonham...
...E agora, plenificada
de Amor, quem vos reconta,
sou eu: no colar dos contadores
mais uma conta que conta
mais uma ponta que canta...






Clevane Pessoa, potiguara de nascimento, mineira por escolha de moradia, militou na imprensa de Juiz de Fora-MG, mantendo a página Gente, Letras & Artes e a coluna diária Clevane Comenta, na Gazeta Comercial Atualmente vive em Belo Horizonte onde conquistou inúmeros amigos por seu carisma, despreendimento em socializar todos os eventos, concursos, promovendo cada um deles apenas pelo prazer de ser solidária. Foi editora de Literatura e arte do tablóide de vanguarda Urgente, trabalhou como psicóloga e é ilustradora, promotora de eventos poéticos pela Paz e oficineira de Poesia. Tem sete livros publicados colaborou na Estalo, revista que divulgou e onde escreveu. Possui e-books e tem textos e poesias hospedados em muitos sites. Como uma das primeiras Poeta del Mundo em MG e divulgadora do Movimento, é responsável pela indicação de dezenas de poetas, inclusive da atual Cônsul que representa o Estado de Minas Gerais.


Tendo como principal objetivo promover a Paz através da poesia, Clevane congrega vários movimentos em favor da Paz Mundial dos quais faz parte.


Tem inúmeros haicais escritos sendo referência nesses poemínimos também.


Em 2010, no Festival de Gastronomia de Tiradentes - MG, visitamos um stand na praça
onde se podia apreciar desenhos e poemas de Clevane Pessoa.
NO FESTIVAL DE GASTRONOMIA, EM TIRADENTES-MG, Visitamos um Stand na Praça onde se podia apreciar desenhos e poemas de CLEVANE PESSOA.
Vejam fotos abaixo!


A sombra e a luz se uniram para dar um toque a mais ao mural que mostrava o trabalho de Clevane Pessoa. O clik eternizou o momento em que as folhas da imensa árvore permitiram esse jogo.

Fotos Bilá Bernardes em 28/08/2010







quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Luiz Lyrio



Luiz Lyrio é natural de Belo Horizonte onde representou Poetas del Mundo. Publicou os livros  GRÊMIO  LIVRE: UM EXERCÍCIO DE CIDADANIA (1998),  NOS IDOS DE 68 (2004), MARCAS DE BATOM (2004) E ABDUÇÃO (2007). Em 2008, a Mazza Ediçõe lançou uma nova edição de NOS IDOS DE 68. 
  Embaixador Universal da Paz (pelo Cercle Universel de Les Embassadeurs de la Paix - Genebra, Suiça), Lyrio foi representante do Movimento ABRACE em Aracaju, Membro Correspondente da Academia de Letras de Teófilo Otoni.
Escreveu até véspera de sua morte, em 08 de Agosto de 2010, em sua militância contínua pela PAZ e contra a violência.





Cláudio Márcio Barbosa




          Dilema


  Você é meu maior dilema

  Mas, se faz poema             
   
  Em um simples olhar









.
         ........................................                                                    .
 .
.............................................................................................                                                                                                                                                                                                                                                                                                        
                                                                                                       
Cônsul Poetas del Mundo, em Belo Horizonte, Cláudio Márcio Barbosa é poeta e produtor cultural, Embaixador Universal da Paz, pelo Cercle de les Ambassadeurs Unov. de la Paix-Genebra - Suiça, medalha de ouro pelo Instituto de Culturas Internacionais - INBRASCI, entre outros títulos conquistados, por mérito, pelos serviços prestados à cultura .

Adolescente, descobriu a poesia através de poetas que cultua até hoje: Carlos Drumond, Adélia Prado, Paulo César Pinheiro, Vinícius de Morais, Wagner Torres, entre outros. Começou escrevendo letras de músicas e hoje publica em jornais, revistas e livros.
Dirigiu eventos do Sindicato dos Escritores do Estado de MG - SEMG, 2002/2005. Seu primeiro livro de poesias está no prelo. Coordena com Clevane Pessoa a antologia D'Versos,, que reúne 12 poetas cujos direitos autorais foram cedidos à ONG Alô Vida, que ele dirige.
(Fonte: Nós da Poesia/Brenda Marques Pena, organizadora. São Paulo: All Print Editora, 2009.)


   

terça-feira, 29 de setembro de 2009


Uma vida
Neuza Ladeira

Uma vida sob medida, uma vida submetida
Uma vida metida naquela noite do galope
Sangue e êxtase íntimos bem enfileirados
Resguardando ao outro o esconderijo onde mora
Certeza alguma nada!
Nem bem sonha ser
Desconcerto de nunca saber
Onde vai constata culpa do outro no outro
Perda de tempo dissimular
Impresso em ti nos cabelos
Aquilo que és em excessos.



Neuza Ladeira é mineira, nasceu na década de 50. Militante pelas liberdades democráticas foi prisioneira política na década de 70. Dedica-se à poesia e artes plásticas. Com dois livros já editados Opúsculos e Quarto de Dormir Quarto de Pensar. Participa do Mural dos Escritores, Recanto das Letras e outros.
Poeta del Mundo é Cônsul Pampulha/BH: http://www.poetasdelmundo.com/verInfo_america.asp?ID=2761


neuzaladeira.com.br

neuza.maria@gmail.com

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Antônio Carlos Dayrell


-//-




SOMBRAS (À Sombra da Sociedade Perfeita)
Do livro POESIA PARA PARAR O TEMPO.
Antônio Carlos Dayrell de Lacerda Gontijo
DAYRELL. 1ª EDIÇÃO. Ed. 2009



Sombras

Antônio Carlos Dayrell de Lacerda Gontijo

Em lembrança de Herbert José de Souza, o Betinho

à sombra da sociedade perfeita
possuímos exércitos
mandamos o homem à lua
edificamos arranha-céus
construímos a bomba atômica;

à sombra da sociedade perfeita
estamos conectados na internet
nossos corações pulsam com a bolsa de valores
adoramos o futebol
brindamos nossos clientes com champagne e caviar;

à sombra da sociedade perfeita
somos inquietos
vivemos apressados
andamos sempre irritados
tornamo-nos sedentários;

à sombra da sociedade perfeita
recrudescemos nossas leis
discriminamos nossos velhos
abandonamos nossas crianças
expulsamos nossos índios;

à sombra da sociedade perfeita
devastamos as florestas
destruímos os rios
maltratamos os animais
silenciamos em nome do progresso;

à sombra da sociedade perfeita
exploramos nossos semelhantes
amealhamos fortunas
elegemos representantes corruptos
vamos passar férias em praias paradisíacas;

à sombra da sociedade perfeita
prejulgamos as pessoas
torturamos os condenados
excluímos os miseráveis
crucificamos Jesus Cristo;

à sombra da sociedade perfeita
cometemos muitos erros
ficamos egoístas, insensíveis
afastamos nosso olhar de Deus
e acabamos sozinhos.